Funcionários se tornam sócios de empresa em Brasília

Sócios criam plano especial de carreira que fazem de seus colaboradores, sócios da empresa.

Atualmente, o trabalhador espera muito mais da empresa onde trabalhar. Benefícios como salário, plano de saúde e vale-refeição, já não são mais suficientes para suprir a expectativa do empregado brasileiro. 

A partir desse entendimento, a Aventto Lifewear – franquia criada em Brasília com 13 unidades em todo o DF – alinhou parte de sua estratégia de expansão e desenvolveu um plano de carreira para seus colaboradores no qual o objetivo final é torná-los um franqueado Aventto. A iniciativa de dar essa oportunidade de crescimento aos seus funcionários partiu da diretora da marca, que percebeu estar perdendo grandes profissionais que ansiavam por melhores oportunidades de trabalho, mas que não tinham condições financeiras de dar o primeiro passo. “Muitos deles chegavam a pedir demissão, com o objetivo de ‘montar o próprio negócio’, mas em poucos meses voltavam querendo o emprego de volta. E, é isso que queremos mudar”, explica Diego Moreira, sócio da Aventto Lifewear. 

Para transformar o colaborador em sócio da empresa, a equipe de direção da Aventto, em conjunto com o departamento de recursos humanos, avalia todos os seus colaboradores, com o intuito de saber sobre as expectativas deles com relação ao emprego, seu desempenho e o resultado em vendas e no relacionamento com a equipe de trabalho; assim, com o levantamento específico do perfil de cada colaborador, a direção consegue avalia-lo melhor e, após isso, o colaborador é convidado à sociedade, para que assim, possa também começar a sua carreira de empreendedor. 

Neste momento, é apresentado ao funcionário, todo o planejamento operacional do negócio, como atividades básicas a serem desenvolvidas e também o plano de pagamento de sua parte na sociedade, que é feito por financiamento, de maneira extremamente simples, com o próprio grupo Aventto, que conta com um grande escritório de advocacia da cidade para auxiliar em todos os tramites legais da documentação.

“Existem diversos formatos e percentuais de sociedade, alguns colaboradores começam com 25%, depois chegam aos 50%, até o momento em que se tornam franqueados independentes. É um processo de evolução e maturidade, criado pela marca e que deve ser seguido”, explica Diego. 

Esse tipo de “promoção” ocorre na empresa há aproximadamente um ano e, com isso, o número de demissões diminuiu, uma vez que o empregado se sente valorizado e com disposição para fazer o melhor trabalho. “Hoje podemos sentir todo o poder que essa ferramenta desperta no grupo. Atualmente temos um time muito mais forte, os funcionários vestem a camisa da Aventto! O foco e paixão pelo trabalho surgem naturalmente dentro de todo o grupo. Os novos sócios se veem na posição de “DONO” e não permitem que nada de errado aconteça. Já o restante da equipe, po r sua vez, vê, nessa possibilidade, uma forma de crescimento e valorização pela marca que trabalham diariamente. Hoje, as pessoas não querem mais construir o sonho do outro elas querem construir os seus próprios sonhos e sabemos que um dos caminhos é por meio de negócio próprio. É por isso que não limitamos o número de sociedades, assim, o sócio pode crescer cada vez mais e se tornar sócios de várias unidades Aventto. E, dessa maneira, todos crescem”, conclui Moreira.

Uma das colaboradoras da empresa que se tornou sócia, Shayene Couto, quitou a primeira parte do financiamento e anunciou a compra de mais 25%. A agora empresária, começou na empresa como gerente de recursos humanos, em março de 2016, e sempre se dedicou ao trabalho desenvolvido, quando, exatamente um ano depois de ter começado a trabalhar na Aventto, foi chamada a fazer sociedade com a empresa. “Obtive um crescimento pessoal e profissional muito grande. Isso porque busquei novas qualificações como empresária, estudando o público alvo da minha unidade, principalmente, – o que foi minha a minha maior dificuld ade. Já com relação à gestão de pessoas, foi mais fácil por ser a minha área de formação, mas mesmo assim, procuro dar o meu melhor para que em breve possa, com o meu crescimento profissional, quitar o financiamento desta unidade e, claro, me tornar sócia de mais unidade”, relata. 

 

Businesshugo isac